Pequenas cidades brasileiras que seguem a OMS têm poucos casos e óbitos por COVID-19
Foto: Miguel Medina/AFP
Foto: Miguel Medina/AFP

A análise das estratégias adotadas por cidades como Tanhaçu (BA), Brotas de Macaúbas (BA), Santa Helena (PB), Cachoeira do Piriá (PA), Buriti (MA) e Guanambi (BA), revelou que todas adotaram procedimentos semelhantes. Restringiram a mobilidade e se empenharam para que as decisões fossem cumpridas. Todas recorreram a medidas de restrição, na contramão do que defende o governo federal. E, sobretudo, houve vontade política para que elas fossem respeitadas.

“Em meados do ano passado, decidimos acompanhar a situação nos municípios de pequeno e médio porte no Norte e no Nordeste que então eram as regiões mais afetadas pela pandemia”, contou a pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas Gabriela Lotta, uma das autoras da nota técnica do IEPS “Casos de Sucesso: A Resposta de Pequenos Municípios do Norte e Nordeste à Pandemia”.

Leia a reportagem completa no site do jornal “Correio Braziliense”