CPI da Covid. Foto: Pedro França/Agência Senado
CPI da Covid. Foto: Pedro França/Agência Senado

Desde o início da CPI, a estratégia dos governistas é usá-la como espaço de legitimação para falsidades marteladas pelo bolsonarismo. O presidente da República, no exercício de suas funções, usou a Assembleia-Geral da ONU para o mesmo propósito. Foi buscar legitimidade internacional para uma das mentiras mais repetidas na Comissão Parlamentar de Inquérito: a de que os governadores fizeram lockdown, “trancando as pessoas em casa”. Essa informação é incorreta. Salvo raríssimas exceções, caso da cidade paulista de Araraquara, não houve lockdown no Brasil, ainda que o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha conferido condições jurídicas e administrativas para que os governadores efetivamente o fizessem.

Leia o artigo completo do diretor executivo do IEPS, Miguel Lago, na coluna “A hora da ciência na CPI”, no site do jornal “O Globo”