Ministro da Saúde do Brasil renuncia após menos de um mês no cargo
Ministro da Saúde do Brasil, Nelson Teich, ouve uma pergunta durante sua primeira coletiva de imprensa em meio à nova pandemia de coronavírus. Foto: AP Photo / Eraldo Peres)
Ministro da Saúde do Brasil, Nelson Teich, ouve uma pergunta durante sua primeira coletiva de imprensa em meio à nova pandemia de coronavírus. Foto: AP Photo / Eraldo Peres)

O ministro da Saúde do Brasil renunciou na sexta-feira após menos de um mês no cargo em um sinal de turbulência contínua sobre como o país deveria combater a pandemia do coronavírus, pedindo demissão um dia depois que o presidente Jair Bolsonaro pressionou-o para expandir o uso do medicamento antimalárico cloroquina em tratamento de pacientes.

O Dr. Nelson Teich, oncologista e consultor de saúde, assumiu o cargo em 17 de abril com a tarefa de alinhar as ações do ministério com a visão do presidente de que a economia do Brasil não deve ser destruída por restrições ao controle da disseminação do vírus.

Miguel Lago, diretor executivo do Instituto Brasileiro de Estudos de Políticas de Saúde (IEPS), entidade sem fins lucrativos e que assessora funcionários de saúde pública, disse que Teich não foi capaz de formar sua própria equipe, não tinha a força política de Mandetta, mas não estava disposto a violar recomendações.

“Ele claramente tinha limitações”, diz Lago. “Ele jamais aceitaria a cloroquina que Bolsonaro queria que ele recomendasse publicamente a ser usado no sistema público de saúde”.

Leia a reportagem completa no site da emissora americana “ABC News”