Mulheres negras tiveram menos acesso ao pré-natal e maiores índices de mortalidade materna entre 2014 e 2020
Foto: Divulgação/Fiocruz
Foto: Divulgação/Fiocruz

O número de mulheres negras que morreram durante a gravidez ou 42 dias após o fim da gestação foi de 8 a mais, a cada 100 mil nascidos vivos, do que entre mulheres brancas entre 2014 e 2019. Os índices de pré-natal adequado também são piores entre as mulheres negras. No primeiro ano da pandemia de Covid-19, o número de gestantes que realizaram o pré-natal de forma adequada caiu 1,44% entre mulheres negras, enquanto a queda foi de 0,54% entre mulheres brancas. Os dados foram apresentados na nota técnica “Desigualdades raciais na saúde: cuidados pré-natais e mortalidade materna no Brasil, 2014-2020” divulgada na última quarta-feira (17/08) pelo IEPS.

Leia a matéria na íntegra no portal Mundo Negro.