País deveria se inspirar na iniciativa do Rio para melhorar dieta na escola
Alimentação saudável ainda é rara na maior parte das escolas. Foto: Getty images
Alimentação saudável ainda é rara na maior parte das escolas. Foto: Getty images

A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro mostra que, quando quer, a classe política sabe promover transformações substanciais na qualidade de vida da população. O Projeto de Lei (PL) 1.662/2019 proíbe a venda de produtos ultraprocessados e bebidas açucaradas nas escolas. De autoria de 15 vereadores, assinado por mais 14, o PL obteve maioria na primeira votação na semana passada e deverá ser votado numa segunda rodada em breve. Ele precisa ser aprovado, em nome da saúde de mais de 1 milhão de estudantes.

Mais de 100 mil crianças e adolescentes foram diagnosticados em 2020 com excesso de peso. Nas escolas municipais do Rio, 61% das refeições contêm produtos ultraprocessados, segundo o Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (IEPS). Nas particulares, o percentual é de 30%. Mudar é urgente.

Leia o editorial completo no site do jornal “O Globo”