Reconhecendo boas práticas na atenção básica em saúde: o caso de Recife
Upinha Tasso Bezerra (Chié I e II), no bairro Campo Grande em Recife. Foto: Andrea Rego Barros/ PCR
Upinha Tasso Bezerra (Chié I e II), no bairro Campo Grande em Recife. Foto: Andrea Rego Barros/ PCR

O processo de construção de políticas públicas na atenção básica é bastante atrelado à lógica “de baixo para cima” (bottom up), onde inovações oriundas das equipes de saúde da família (eSFs) e unidades básicas de saúde (UBS) são incorporadas ao conjunto de ações de promoção, prevenção, tratamento, cura e reabilitação disponíveis à população.

Leia o artigo na íntegra no blog Saúde em Público, da Folha de S. Paulo.