Vírus avança rio acima na Amazônia brasileira e adoece nativos
Moradores caminham em uma estrada de terra na comunidade do Parque das Nações Indígenas, em Manaus, Brasil. Foto: Felipe Dana/AP
Moradores caminham em uma estrada de terra na comunidade do Parque das Nações Indígenas, em Manaus, Brasil. Foto: Felipe Dana/AP

Na remota comunidade amazônica de Betânia, membros da tribo Tikuna suspeitam que o coronavírus tenha chegado este mês, depois que alguns voltaram de uma viagem de barco de duas horas pelo rio Solimões para receber seus pagamentos de benefícios do governo.

Posteriormente, dezenas tiveram dores de cabeça, febre e tosse. Dois morreram. E os cinco funcionários médicos do governo para a comunidade de cerca de 4.000 não estão tratando os doentes porque não têm equipamento de proteção e testes de coronavírus

Leia a reportagem completa, em inglês, no site do jornal americano “Seattle Times”