Identificação de pessoas com fatores de risco para doenças crônicas cresce mais de 1000% em unidade piloto do Inova Rastreio
Atendimento e acolhimento. Foto Myke Sena/Ministério da Saúde
Atendimento e acolhimento. Foto Myke Sena/Ministério da Saúde
Identificação de pessoas com fatores de risco para doenças crônicas cresce mais de 1000% em unidade piloto do Inova Rastreio Ouvir o texto

A identificação de pessoas com fatores de risco para doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, cresceu mais de 1000% no Centro de Saúde da Família (CSF) do Alto do Cristo, em Sobral (CE), após o primeiro ciclo do projeto InovaRastreio. A unidade foi escolhida pela prefeitura do município para receber a fase de testes do projeto InovaAPS, executado pela Diretoria de Políticas Públicas do Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (IEPS) em parceria com os profissionais e representantes da gestão de saúde do município

Para Jéssica Remédios, analista de políticas públicas do IEPS, o sucesso da iniciativa representa um passo importante para o cuidado da população de Sobral. “Em geral, os municípios tem dificuldades para identificar usuários com fatores de risco para DCNTs. Dados recentes do Vigitel demonstram o impacto dos fatores de risco na saúde das brasileiras e brasileiros, em especial na hipertensão e diabetes. Ao qualificar o processo do cadastro, sensibilizando o olhar dos profissionais para o registro dos fatores de risco para DCNTs, a unidade piloto de Sobral teve a oportunidade de conhecer sua população com maior risco para HAS e diabetes”, afirma.

Busca ativa ampliou o número de registros e aprimorou a identificação da população sobralense

O número de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) com fatores de risco e/ou hipertensão e diabetes identificados após o primeiro ciclo do InovaRastreio cresceu consideravelmente. De janeiro a agosto de 2023, foram registradas apenas 2 pessoas tabagistas e 15 pessoas acima do peso atendidas pela unidade. Após o primeiro ciclo do InovaRastreio, em setembro, 60 usuários de tabaco e 247 pessoas obesas e com sobrepeso foram identificadas e atendidas. 

Em apenas um mês, houve um crescimento de mais de 1000% no comparativo com os números de janeiro a agosto. Esse foi o resultado da busca ativa de pacientes, feita pelos profissionais de saúde do CSF do Alto do Cristo em diálogo com a equipe do InovAPS. Foram implementadas práticas de trabalho que pudessem aprimorar o registro desses usuários, como agendamentos individuais de pessoas com obesidade e tabagistas e a realização de avaliação corporal nos atendimentos da unidade. 

Identificação de pessoas com fatores de risco para doenças crônicas cresce mais de 1000% em unidade piloto do Inova Rastreio

Casos de condições relacionadas às Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) identificados na CSF do Alto do Cristo, em Sobral (CE) após o primeiro ciclo do Inova Rastreio

“Nosso intuito é buscar para cuidar”

Regilania Araújo, gerente do CSF Alto do Cristo, destaca que o primeiro ciclo do projeto transformou a rotina de trabalho do centro de saúde. Para ela, a equipe está conseguindo transmitir para a comunidade a importância  de realizar agendamentos e de frequentar a unidade de saúde não só para tratar de doenças, mas também para preveni-las. 

“A equipe entendeu o Inova e está levando o projeto para vários ângulos da unidade – não só para pessoas obesas, com diabetes e tabagistas. Vimos pacientes perguntarem ‘mas porque eu tenho que vir, se não estou doente?’ e as profissionais responderem: ‘nosso intuito é buscar para cuidar”‘, contou a gerente do CSF Alto do Cristo. 

A perspectiva é que a identificação dos usuários cresça nos próximos ciclos, acompanhada do aprimoramento dos registros e da classificação por risco e prioridades da população.

InovaAPS: rastreio, manejo e prevenção

O InovaAPS é um projeto criado pelo IEPS, em parceria com a Umane, para apoiar municípios no desenho e na implementação de políticas que reduzam a prevalência dos fatores de risco, como a obesidade, o sedentarismo e o tabagismo, para hipertensão arterial sistêmica (HAS) e diabetes mellitus (DM). 

O projeto propõe uma jornada de inovação compartilhada com os municípios com o objetivo de contribuir com a descoberta e disseminação de novas práticas capaz de reduzir a prevalência destes fatores de risco, que, sem bem sucedidas, podem ser adotadas por novos territórios. O apoio à gestão municipal acontece em três etapas: Inova Rastreio, Manejo e Prevenção.